ACESSIBILIDADE
TAMANHO DA FONTE:
A+
A
A-
  • serviços Cidadão

  • serviços Empresa

  • serviços Servidor

  • consulta Processos

  • Acesso à
    Informação
+
postado em 24 nov 2006 em Secretaria Infraestrutura Urbana

Produtores estão em alerta contra ferrugem asiática

A Prefeitura de Rio Verde, através da Secretaria de Agricultura, está alertando os produtores rurais de soja para evitar a ferrugem asiática. O Consórcio Antiferrugem recebeu, esta semana, a confirmação dos seis primeiros focos de ferrugem asiática da soja no estado de Goiás. Os focos foram confirmados nas cidades de Montividiu, Chapadão do Céu, Formosa do Oeste e Senador Canedo, em unidades de alerta (semeadas antes do período tradicional de plantio para facilitar a confirmação da ferrugem).

Na região de Rio Verde, a safra começou com clima propício ao desenvolvimento da doença. Houve um período seco na semana de 12 a 18 de novembro, mas como voltou a chover, surgiram os primeiros focos. “A expectativa era de uma safra mais tranqüila, mas os focos começaram a surgir de uma só vez. Boa parte da área está em fase de florescimento e muitos agricultores já estão começando as aplicações preventivas”, relata o agrônomo Luis Henrique Carregal, da Universidade de Rio Verde (Fesurv). Segundo Carregal, a expectativa é que as aplicações no momento correto mantenham o inóculo baixo. “Mas são as condições climáticas que vão definir a evolução da doença. O mais importante é manter o agricultor informado e tentar evitar o pânico”, destaca.   De acordo com o secretário de Agricultura, Paulo Martins, os produtores estão sendo orientados para fazer a coleta das folhas (soja), levá-las ao laboratório para que seja feita a análise. “Felizmente os produtores já estão bem conscientes com relação ao problema,e já sabem como agir. Assim teremos respostas bem mais rápidas”, destacou Martins.

Apenas em Chapadão do Céu o foco foi confirmado em uma lavoura comercial. A constatação dos focos foi realizada por equipes do CTPA, Agência Rural, Syngenta, Fesurv, Fundação Chapadão e Embrapa Soja, entidades integrantes do Consórcio Antiferrugem. “Apesar do número reduzido de unidades de alerta nesta safra sua importância é evidenciada nestes relatos e os produtores e técnicos dessas regiões devem redobrar ainda mais a atenção no monitoramento das lavouras”, destaca Cláudia Godoy, pesquisadora da Embrapa Soja.
Também foi confirmada a segunda ocorrência no estado do Paraná, no município de Formosa do Oeste, em planta voluntária. Nos últimos treze dias, o Sistema de Alerta registrou 16 focos de ferrugem. A doença está presente em municípios do Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Goiás.
Segundo a pesquisadora Cláudia Godoy, da Embrapa Soja, como este ano as chuvas favoreceram a instalação das lavouras mais cedo e houve um aumento no plantio de variedades precoces, “por isso, o número de relatos tende a ser crescente, uma vez que a doença ocorre com maior freqüência a partir de florescimento.

A maior eficiência do Sistema de Alerta, que permite aos laboratórios credenciados no consórcio Antiferrugem cadastrarem os focos diretamente no site, também contribui para um retrato mais fiel das ocorrências nas regiões. A orientação para os produtores é que intensifiquem o monitoramento próximo ao florescimento e realizem o controle da doença, a partir do florescimento, se já houver focos na região.

Na safra 2005/06, o Sistema de Alerta/Consórcio Antiferrugem registrou 1409 ocorrências de ferrugem. Desde o surgimento da doença no País, em 2001, já foram calculadas perdas (grãos + custo de controle + perda de arrecadação) equivalentes a mais de US$ 7,7 bilhões. Na safra passada, os principais fatores que contribuíram para a ocorrência da ferrugem foram: a alta pressão do fungo em função da soja cultivada na entressafra, a dificuldade de diagnóstico aos primeiros sintomas, a utilização de meia dose de fungicidas buscando economia nas aplicações e a falta de domínio das tecnologias de aplicação.

Compartilhe notícia:

Telefones úteis

Lista telefones da Prefeitura

Executivo

Gabinete do Prefeito

64 3602-8030

Órgãos e Empresas Públicas

Procuradoria Geral do Município

64 3602-8026

AMT - Agência Municipal de Mobilidade e Trânsito

64 3620-2069 / 3620-0007 e 156

IPARV – Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores de Rio Verde

64 2101-7100 , 2101-7101, 2101-7102

PROCON

64 3602-8600

AMAE/RV - Agência de Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico

64 3620-2065 / 9 9264-3896

Hospital Materno Infantil Augusta Bastos (HMIAB)

64 36

Departamentos

CMEI Professora Judith Iara Alves Augusto

64 99284-7521

EMEF Professora Maria Dulce Rocha Duarte Barbosa

64 3620-2011 / 9 9278-2472

CMEI Caminho da Vida

64 3620-3228

Secretarias

Secretaria de Planejamento e Gestão

64 3602-8040 / 3602-8087

Controladoria Geral do Município

64 3602-8055

Secretaria de Assistência Social

64 3602-8800

Secretaria de Turismo

64 3620-2146

Secretaria da Fazenda

64 3624-2400 / 2413

Secretaria de Educação

64 3602-8200

Secretarias

Secretaria de Saúde

64 3602-8100 - 64 3602-8123

Secretaria de Ação Urbana e Serviços Públicos

64 3620-2131 / 3620-2141

Secretaria Infraestrutura Urbana

64 3602-7200

Secretaria de Infraestrutura Rural

64 3620-0012

Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável

64 3620-4130

Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento

64 3612-1944

Secretaria de Esportes e Lazer

64 3620-2081, 3620-2042, 3620-2119

Secretaria de Meio Ambiente

64 3602-8400

Secretaria de Comunicação Social

64 3602-8001

Secretaria de Cultura

64 3620-2071

Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária

64 3602-1281 / 64 992241507